Terça-feira, 8 de Maio de 2007

Vontade de prosseguir

Ø      Eu sou espírito, luz, energia, vibração, cor e amor. Eu sou muito mais do que aquilo que penso que sou.

 

Ø      Eu possuo uma força interior que está do meu lado sempre que eu precise dela.

 

Ø      Eu quero sair da prisão que criei para mim mesmo.

 

Ø      O meu filho ausentou-se demasiado cedo e tudo se desfez. Eu sei porém que a vida é feita de eterna mudança. Não há nenhum princípio nem fim, só um ciclo e uma reciclagem constantes de substâncias e experiências. A Vida nunca fica presa porque cada momento é sempre de renovação.

 

Ø      Eu aceito o meu passado como o meu presente. Estou disposto a permitir que o meu futuro aconteça. Eu sou uma expressão de Vida e mereço prosseguir com Fé no Amanhã, honrando os que me amam e estão comigo no meu coração.

 

Há vacilações, desesperos e incertezas. Eu estou aqui como um Porto de Abrigo para vos acolher sempre e para vos ajudar a voltarem a apreciar a Vida na sua plenitude. Não estão sós...Há uma mistura divina de energias quando partilhamos o nosso sentir querendo transpor a barreira da amargura, da tristeza e da revolta.

 

Com amizade,

 

Aida Nuno.

 

sinto-me: confiante
publicado por criar e ousar às 20:00
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sexta-feira, 6 de Abril de 2007

E o tempo corre...

     

      Se não tivéssemos emoções ou sentimentos todos seríamos livres da dor... não tínhamos ilusões, ansiedades, medos e mágoas, só existiria em nós a lógica... Seria isso bom? Não sei se seria... Acredito que nos devemos empenhar em viver com qualidade de Vida e dar, na medida das nossas possibilidades, o que de bom temos.

 

       Para muitos dos pais o tempo é de sofrimento e o processo de reconciliação com a Vida é ainda longo e doloroso. Há que alcançar a esperança para que a alegria saudável volte ao seu interior e brilhe nos seus olhos. Recomeçar!

 

        O meu pensamento não é uma lei, não é uma certeza, é o meu sentir, a minha experiência perante a minha vivência de muitos anos de luto. Perdura em mim o ausente e isso, de certa maneira, conforta-me porque permanentemente esse filho me acompanha.

 

       Agarro-me a todos os bens que ele me deixou: a sua bondade, alegria e força. A beleza que irradiava, as suas palavras inocentes mas tão sábias, a despedida feita, sem que a morte fosse ainda anunciada, foram bênçãos para a minha vida e um grande e são orgulho me invade de ter tido este filho e de ter partilhado com ele onze lindas Primaveras. Digo Primaveras porque ele foi e será sempre a minha Primavera, o meu renascer...

 

        E o tempo corre, os anos passam e começamos a perder a nitidez da Vida passada, da voz do nosso filho, dos seus gestos e com angústia interrogamo-nos: Como é isso possível? Mas é assim...a sua Vida que foi palpável desapareceu e ficaram as suas palavras sem som e o seu espírito recolhe-se em nós mais vivo do que nunca. 

 

Neste fim de tarde quase vermelho

Um pouco alegre dentro do triste

Passeiam os pensamentos, os anseios

Vãos e irrealizáveis transbordando... 

  

E a flor cresce na terra quente

E o mar em ondas ruge e se espraia

Os anos não matam os momentos

Crescem, urram transbordando... 

  

Quem me dera falar-te, dizer-te

Em fim, amar-te vivo, criar-te em mim

Mas, meu amor, como era a tua voz?

Riso apagado, tristeza transbordando...

 

 

                                                               Aida Nuno

 

sinto-me: com coragem
publicado por criar e ousar às 19:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007

Manifesto

Estou aqui

Por todos os filhos do nosso luto

Pelos que sem vida nasceram

Pelos bebés que não puderam crescer

Por todas as crianças que morreram

Pelos jovens que queriam viver.

 

O tempo não tem tempo

Passa...os filhos não!

Vamos perpetuar dentro de nós

A sua imagem

Os momentos bons e irrepetíveis

Com lucidez e muita coragem.

 

Que a Saudade seja eterna

Como terna será a nossa Sabedoria

Transportemos pois o facho da Esperança

 

Filhos de Vida tão breve

Continuaremos por vós o caminho

Entre o mistério da Vida e da Morte

Aprendendo a ser

A crer no Amanhã...Viver!

 

Que a saudade seja eterna

Como terna será a nossa Sabedoria

Transportemos pois o facho da Esperança

 

Juntemos as nossas mãos

Profundamente sentiremos esta união

Amor, Fraternidade e Paz

Sem culpas, medos ou segredos

Que nasça a palavra certa

O gesto que nos aqueça     

Manifesto em cadeia que nunca acaba

 

Só assim os lembraremos

Só assim os honraremos

Só assim viveremos em plenitude.

                                                           Aida Nuno

sinto-me: bem com os amigos
tags: , ,
publicado por criar e ousar às 13:06
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

Contacto via e-mail

.posts recentes

. Vontade de prosseguir

. E o tempo corre...

. Manifesto

.favoritos

. E o que Fazer?

. Partilhar

. Aos nossos Filhos

. Valorizando a Vida

. Mensagem

. Os Cristos no Mundo

. Ambição

. Emigrantes

. Afectividade

. A Ausência

.arquivos

. Setembro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Maio 2012

. Novembro 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO