Quinta-feira, 2 de Agosto de 2007

Valorizando a Vida

    Muitos de nós Pais em Luto dizemos que não vale a pena lutar porque a Vida não passa de uma ilusão.

    A questão central, no entanto, é saber o que nos leva a sentirmos, de modo tão negativo, esta escolha que é viver o nosso dia-a-dia sem qualquer interesse.

    Não vale a pena argumentar dizendo que não pedimos para nascer, pois todos nós não estamos aqui na terra por acaso. O que nos sucedeu, a perda dos nossos amados filhos, sucede a cada segundo neste mundo onde vivemos.

    A Vida não é um acidente de percurso é um caminho onde verdadeiramente não sabemos até onde ele aporta. A Vida verdadeiramente vivida é uma opção que nós próprios podemos tomar mesmo perante toda a nossa dor. Desistir não é uma solução. Lamentarmo-nos ainda menos... Pensem que a força gerada nas lamentações também pode ser aplicada como um meio de Vida virado para a coragem e determinação na reconstrução de tudo que está dentro de nós em ruínas.

    Gostaria que todos nós meditássemos, nos fins de tarde maravilhosos deste Verão tão escaldante, virados para o mar, para a natureza, para os seres que amamos e essencialmente para dentro de nós, sobre esta realidade. Vamos empenharmo-nos, com muito amor, a transformar os dias de angústia em dias de serenidade e aceitação.

    Lembremo-nos de que estamos vivos e mostremos a nós próprios, a partir deste momento, que queremos continuar a viver, que queremos criar todos os dias mais qualquer coisa para nos completarmos como seres criativos que somos.

    Vamos harmonizar o nosso passado com o presente e o futuro que é o amanhã. Louvar e valorizar a Vida.

 Aida Nuno

sinto-me:
publicado por criar e ousar às 19:56
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Genny a 3 de Agosto de 2007 às 16:07
Olá Aida,
É linda a tua força de viver.
Um abraço e bom fim-de-semana.
De Escritora de Post-its a 20 de Setembro de 2008 às 21:20
Há cerca de ano e meio perdi um grande amigo que era como um pai para mim.

Foi uma fase complicada. Ele tinha cerca de 50 anos e deixou 2 filhas e esposa.

Hoje sou uma das pessoas que está a dar continuidade ao seu trabalho. Percebi que Deus o levou com algum propósito que a minha mente finita não pode compreender, mas que parte do seu legado está hoje nas minhas mãos para poder continuar o que ele começou.

O ânimo no meu coração é saber com toda a certeza que esse amigo decidiu viver para Deus e pelos outros enquanto viveu.

De criar e ousar a 21 de Setembro de 2008 às 21:51
Olá!

Gostei das suas palavras e de ter ido em frente dando continuidade ao trabalho de quem tanto estimava.

Não posso desenvolver o tema dado que só levantou um pouco do véu de tudo aquilo que foi e é importante para si.

Com amizade,

Aida Nuno

Comentar post

.mais sobre mim

Contacto via e-mail

.posts recentes

. OS NOSSOS FILHOS JÁ NÃO M...

. Coragem

. Meu filho mostra-me o cam...

. Continuo com todos os que...

. Sempre

. Reflexões

. Partilhar

. É preciso ter coragem

. Dia do Pai

. O Natal e a ausência

.favoritos

. E o que Fazer?

. Partilhar

. Aos nossos Filhos

. Valorizando a Vida

. Mensagem

. Os Cristos no Mundo

. Ambição

. Emigrantes

. Afectividade

. A Ausência

.arquivos

. Setembro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Maio 2012

. Novembro 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO